Primeira-dama do Estado visita bordadeiras de Galante e Gurinhém e discute detalhes de homenagem no Salão de Artesanato em CG

  A primeira-dama do Estado e presidente de Honra do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), Ana Maria Lins, esteve, nesta quinta-feira (27), em Galante, Distrito de Campina Grande, e no município de Gurinhém, ocasião em que conheceu o trabalho desenvolvido pelas bordadeiras homenageadas durante o 34° Salão do Artesanato Paraibano, que será realizado na Rainha da Borborema de 8 de junho a 3 de julho, com o tema “Bordados que contam histórias”. 

Além de conhecer o trabalho das bordadeiras e discutir detalhes para o Salão do Artesanato, a agenda da primeira-dama teve como objetivo principal ouvir as reivindicações da categoria, para que o Governo do Estado implemente políticas ainda mais efetivas na divulgação e comercialização do bordado. Nessa quarta-feira (27), Ana Maria Lins visitou os municípios de Serra Redonda, no Agreste paraibano, e Alagoa Nova, no Brejo. 

Ao se reunir com as artesãs, a presidente de Honra do PAP ressaltou a importância da implementação das políticas públicas conforme os anseios e as expectativas das bordadeiras. “Assim como fizemos no 33° Salão do Artesanato, realizado em janeiro em João Pessoa e que homenageou as artesãs marisqueiras, estamos visitando a categoria das bordadeiras, que serão homenageadas no 34° Salão de Campina Grande. É uma oportunidade de o Governo do Estado conhecer mais de perto essa tipologia tão rica, tão criativa, e desenvolver ações visando aumentar a divulgação e a comercialização”, afirmou.

“É um momento importante para termos uma radiografia da realidade das artesãs bordadeiras: em que condições trabalham, o que desejam, quais seus anseios. Ou seja, desenvolver políticas públicas além do Salão do Artesanato, como o Governador do Estado vem fazendo”, prosseguiu Ana Maria Lins. 

A gestora do PAP, Marielza Rodriguez, destacou a importância da homenagem prestada pelo 34° Salão do Artesanato ao bordado. “Estamos num período extremamente satisfatório para o artesanato. E, dentro dessa perspectiva, o bordado tradicional de Galante, o ponto cruz, vai ser resgatado com o apoio incondicional do governador João Azevêdo e da primeira-dama e presidente de Honra do PAP, Ana Maria Lins

Ana Maria Lins conheceu o trabalho das bordadeiras da Associação Mãos Criativas de Galante. Fundada em 1988, a Associação tem repassado a arte do bordado e ajudado a complementar a renda de muitas mães de família.

A coordenadora da Mãos Criativas, Iris Matias, agradeceu a visita da primeira-dama do Estado e ressaltou a importância do momento para as bordadeiras mostrarem suas reivindicações para fortalecer ainda mais a tipologia. “É com muito orgulho que a gente recebe a visita da primeira-dama do Estado. Em nome dela, agradecemos ao Governo do Estado, ao governador João Azevêdo, ao Programa do Artesanato, a Marielza Rodriguez, pela homenagem no Salão de Campina Grande. Isso vai ajudar ainda mais na divulgação do bordado.

A bordadeira Lucila Gomes é a prova de que o amor pelo bordado passa de geração em geração. Aos 55 anos, ela borda há mais de 30 anos. “Eu via as minhas primas bordando, que já aprenderam com os pais delas, e resolvi aprender também. Não dá para viver do bordado, mas posso dizer que é um dinheiro extra muito bem-vindo. Já que vamos ser homenageadas no Salão de Campina Grande, espero que essa divulgação ajude a gente vender ainda mais”, disse.

Em Gurinhém – A primeira-dama do Estado e presidente do PAP, ainda nesta quinta-feira (28), visitou as artesãs bordadeiras do município de Gurinhém, onde conheceu o trabalho desenvolvido por avó, netos e genro, um exemplo de que o fortalecimento do bordado em parceria com o Governo do Estado, a Prefeitura do Município e a iniciativa privada, por meio de parceiros como a fábrica Terra do Sol, tem dado certo.

Ao se dirigir às artesãs, Ana Maria enfatizou: “É uma honra conhecer o trabalho de todos vocês, e perceber o poder transformador do bordado, uma técnica que tem atravessado gerações aqui em Gurinhém, sendo abraçada por avós, netos. Não tenham dúvidas de que o Governo do Estado sempre apoiará vocês”, disse. 

O vice-prefeito de Gurinhém, Itamar Ribeiro, agradeceu a visita da primeira-dama e destacou as parcerias com o Governo do Estado. “É uma honra imensa receber a primeira-dama, Ana Maria Lins, aqui no nosso município. Estamos muito felizes pelo apoio dado pelo Governo do Estado aos nossos artistas, que são homens e mulheres que fazem do bordado, aqui em Gurinhém, uma riqueza cultural, mas também geração de ocupação e renda”, acrescentou.

Um dos exemplos da viabilidade do bordado é Maria Soares da Silva, de 51 anos. O amor pela técnica, que também é fonte de renda, já alcança o neto, a filha e até o genro, quebrando inclusive estigmas e superando preconceitos. “Eu estou no bordado há quase 20 anos. Hoje, tenho orgulho de dizer que é a minha principal fonte de renda, e estou muito feliz pela homenagem que vamos receber no Salão de Campina”, comentou.

Tiago Cavalcante da Silva, de 20 anos, e genro de dona Maria, é enfático ao definir a experiência com o bordado: “Essa experiência tem sido maravilhosa. Além de ser uma boa fonte de renda, o bordado também é uma terapia. Estou gostando muito dessa oportunidade”, disse.

O homenageado – Feita predominantemente à mão, a técnica do bordado está presente em diversos municípios paraibanos, com destaque para João Pessoa, Campina Grande, Alagoa Nova, Serra Redonda e Gurinhém. 

Ao chegar à sua 34° edição, o Salão do Artesanato Paraibano homenageará a tipologia de bordado com o tema “Bordados que contam histórias”.

O tema não é à toa, como explicou a artesã Regina Lima. “Fazer bordado foi uma grande independência para mim e para outras mulheres a quem tive o orgulho de repassar essa técnica. O bordado me ajudou inclusive no meu lado espiritual. Tenho certeza de que os visitantes do Salão de Campina vão sentir esse ambiente espiritual, perceber que, como diz o tema tão bem escolhido pelo Governo, o bordado conta a história de todas nós”, finalizou.

Segundo dados do PAP, 287 artesãos que trabalham com o bordado são cadastrados no programa. A coordenadora de Capacitação do PAP, Yara Alencar, ressaltou que todos seguem incessantemente a preservação da cultura. “Os artesãos e as artesãs que trabalham com o bordado entendem que é possível evoluir, se modernizar, preservando as características essenciais do bordado, fazendo essa tipologia ter ainda mais valor”, completou.

Paraiba247

Postar um comentário

0 Comentários