Professores da Rede Municipal de Ensino decidem fazer greve contra a Prefeitura de Sapé por não pagamento de direitos trabalhistas

  Segundo informações repassadas ao Blog do GM pelo militante trabalhista Garibaldi Pessoa (PT), que atua como advogado em Sapé, desde o início dos anos 1980, defendendo causas impetradas na Justiça por diversos sindicatos, sobretudo de agricultores e também de servidores públicos municipais, os Filiados e Filiadas da APROM, em Assembléia Geral Extraordinária, após os debates sobre os pontos de pauta, ficou decidido, com relação ao descumprimento do acordo para pagamento do retroativo, por parte do Prefeito Majpor Sidney (filiado ao Podemos), que:

1. A Entidade de Classe promoverá denúncia no Ministério Público, visando também a designação de audiência, com o Prefeito e Diretor do PREVSAPÉ;
2. Foi aprovado o indicativo de paralisação das atividades do Magistério. Uma próxima assembléia definirá o calendário, na forma legal, incluindo data e período da paralisação, bem como as estratégias das atividades.

“A união do Magistério é fundamental para que não ocorra a retirada de direitos e que o pagamento integral do retroativo para tod@s seja imediatamente efetivado”, de acordo com a Diretoria da entidade de classe.

Garibaldi Pessoa relatou que esse foi o texto divulgado pela APROM – Associação de Profissionais do Magistério da Microrregião de Sapé, após realização de Assembléia Geral Extraordinária do último sábado (dia 30 de abril).

Paraíba247

Postar um comentário

0 Comentários